Sindicato dos Trabalhadores
Rurais de Jundiaí e Região
Copyright © 2008 - Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Jundiaí e Região - Todos direitos Reservados
Frutas: solo preparado para o plantio Para quem pretende iniciar o plantio de alguma espécie frutífera esta é a época para preparar o solo, que inclui a escolha do terreno, fazer a correção de solo da área e abrir as covas para o plantio de mudas. "O preparo deve começar dois meses antes do plantio", diz o pesquisador Marco Antonio Tecchio, do Centro de Frutas do Instituto Agronômico (IAC-Apta), da Secretaria de Agricultura paulista. A época de plantio, diz Tecchio, varia conforme a biologia da espécie e, por isso, as fruteiras são divididas em dois tipos. O plantio de espécies de folhas caducas, caracterizadas pela queda de folhas no inverno (caqui, uva e pêra), é indicado para o fim do outono e inverno. as fruteiras de folhas persistentes, que não caem no inverno (citros, manga, abacate, goiaba), têm o plantio recomendado para a primavera e verão. A localização é o primeiro item da instalação do pomar. "Ideal é ter uma fonte de água próxima e que a área seja plana, voltada para a face norte, menos sujeita a ventos. Se a área for declivosa, é necessário adotar práticas de conservação do solo, como a construção de curvas de nível." Escolhida a área, o passo seguinte é fazer a análise química do solo em laboratório. Para fruteiras, diz, na coleta de solo devem ser retiradas amostras de 0 a 20 centímetros e de 20 a 40 centímetros de profundidade. O espaçamento entre plantas varia conforme a espécie, mas, de modo geral, quanto maior o porte, maior será o espaçamento. "A área disponível por planta está intimamente relacionada ao volume da copa da árvore", explica. O próprio viveiro onde a muda foi adquirida informa sobre o espaçamento adequado. Para abrir as covas, a recomendação é adotar as dimensões de 60 centímetros de profundidade por 60 centímetros de comprimento e 60 centímetros de largura. A terra retirada é separada em dois montes, um com terra da camada superficial (0 a 30 centímetros de profundidade) e outro com terra do subsolo (30 a 60 centímetros de profundidade). À terra da camada superficial é misturado o adubo e o calcário recomendados pela análise de solo e a matéria orgânica (esterco de curral ou cama de frango). "Mistura-se tudo com uma enxada e joga-se no fundo da cova. Depois, completa-se a cova com terra até um pouco acima do nível da superfície." A terra retirada do subsolo da cova é usada, depois do plantio, para fazer a "coroa" em volta da muda, como forma de reter água. Após dois meses, é feito o plantio da muda pronta. "Adquirir mudas prontas de viveiros idôneos é mais fácil, pois o plantio de sementes obedece a muitos outros procedimentos", afirma.